Terça-Feira, 25 de abril de 2017.

A Economia no Brasil e no mundo.

Maria José Nogueira Pinto, foi uma jurista portuguesa que batalhou incansavelmente pela justiça, e ao ler a sua última crônica, saltou-me aos olhos a integridade de caráter daquela mulher. Ela travou muitas batalhas até ser vencida pelo câncer e como ela, entendo que devemos todos travar o bom combate, de que nos fala o apóstolo Paulo.

Travar o bom combate é fazermos aquilo que nos compete fazer! NÃO PODEMOS NOS OMITIR!
Travo bons combates ao alertar que em todos os novos escândalos políticos desde o caso Waldomiro Diniz em fevereiro de 2004, o centro da roubalheira institucionalizada, teve,  como endereço, o Palácio do Planalto, nos governos de Lula e de Dilma. 

A corrupção generalizada nos levou ao caos, e enquanto o poste Dilma se dizia triste sempre que uma nova bomba vinha à tona, ao longo de todo o seu governo, todos os brasileiros esperaram em vão, o falastrão-mor desmontar a farsa do mensalão conforme prometera. Lula é um mau caráter e um farsante de longa data... Quem o defende, ou é cego ou é cúmplice!

Hoje o  que mais preocupa o brasileiro é a corrupção endêmica, responsável pela agrura de milhões de cidadãos que sofrem pela ganância cega de insanos nada consequentes. Mas, cadê o desmonte? Ora, Lulla só enganou e só trapaceou... Lulla continua enganando e trapaceando porque ele não tem alternativa... Lulla é Lulla! Um poço de incongruências!

Mas, tudo está sendo esclarecido pela Operação Lava Jato, e o juiz Sergio Moro é o regente desta que é a maior devassa da justiça aos políticos corruptos, na história do Brasil. A justiça tarda, mas a justiça não falha! Já são três anos de trabalho com pressão de todos os lados... E Moro não esmorece porque sabe que tem os cidadãos brasileiros do lado dele. Moro sabe que trava o bom combate!

Crises econômicas sérias aconteceram no mundo recentemente, e atingiram países muito ricos como  os USA e a Alemanha, por exemplo, porém eles se recuperaram rapidamente da crise financeira que atravessaram. 

O ponto forte de países economicamente robustos é o ajuste das contas públicas. Esta é coisa que no Brasil, só prometem, ano após ano, eleição após eleição, continuando a jogar para o futuro, as insolvências cometidas no presente. Isso precisa acabar, e Temer sabe muito bem disso! O Brasil não cabe no seu PIB! Simplesmente não cabe... É preciso acabar com os altíssimos salários dos homens públicos... Falta teta... Falta muita teta... 

Se falta teta é preciso eliminar bocas ávidas...

Mas, aqueles que detém o poder aqui no Brasil, sempre colocam o próprio interesse em primeiro lugar. A preocupação com quem os sustenta, que é o trabalhador brasileiro, é mero efeito colateral, algo que os preocupa quase nada... Isso urge mudar e começa pelo voto consciente...
Prezado leitor, nunca a humanidade conheceu evolução tão rápida. Nunca o conhecimento, a ciência e a tecnologia foram tão acessíveis. Nunca os celeiros e lagares estiveram tão abarrotados de alimentos... Mas apesar de tudo, metade da população mundial não consegue viver dignamente, não possuem o minimamente básico, e cada novo dia é uma nova luta pela sobrevivência. 

Uma renda digna, em nosso querido Brasil, menos de dois por cento da população, aufere. Que loucura!
Assim, se você crê possuir informação que seja benéfica ao próximo, repasse-a. Se você crê possuir alguma habilidade, utilize-a em benefício de todos, independentemente de qualquer coisa e não se preocupe com críticas.
E recordo Cora Coralina: “Plante, semeie, faça o melhor que puder e não se preocupe com o resto. Alguém colherá os frutos de sua ação e isto é mais que suficiente.”

Sabemos hoje que as pessoas tornam-se mais inteligentes a partir da meia idade. Claro que é normal esquecer nomes, esquecer detalhes de algum fato, entretanto, o raciocínio torna-se mais afiado, mais rápido, porque o excesso de informações armazenadas no cérebro, aliado a intuição, fruto de experiências de vida, permitem pegar as coisas no ar, captar e entender situações não bem esclarecidas, permitem ler nas entrelinhas.

A ressonância magnética consegue flagrar o cérebro em pleno funcionamento e sabe-se hoje, que o raciocínio complexo, usado para encontrar soluções numa análise de situação, é bastante aprimorado com a idade. Não é à toa que as Empresas começara a ver com outros olhos os funcionários com mais idade... É preciso valorizar a experiência de quem já viveu um pouco mais. 

Estou evidenciando isto porque ao me aproximar dos 69 anos, sinto-me na plenitude, no auge de minha capacidade mental e sei que muitos vivem momentos cruciais com relação ao seu próprio envelhecimento...

Voltando a crise econômica brasileira, os  momentos são realmente difíceis, porém a origem é invariavelmente a mesma: As pessoas gastam muito além do que arrecadam! As pessoas precisam aprender a viver com pouco se elas ganham pouco...

A crise econômica vem afetando nações que há poucos anos atrás mostravam robustez financeira e os governos procuram abrandar a situação, acobertar os problemas. Recordo o caso da Islândia, onde as riquezas naturais (pesca) deixaram de ser exploradas porque todos queriam se sustentar com a ciranda financeira...Ora, o povo precisou voltar à pesca. 

Dá trabalho, mas dá dinheiro!
Lembre-se que políticos são insensatos, eles não vacilam e forjam números, mascaram contabilidade, fazem malabarismos com as contas, porque precisam acalmar instituições financeiras, o mercado externo e interno, mas principalmente, acalmar sua população.

Como já vivi um pouco acima da média de meus leitores, creio perceber alguns detalhes simplórios, mas que fazem muita água para afundar barco de qualquer tamanho.O detalhe fundamental no desequilíbrio das contas de todas as origens é o consumismo desenfreado. As pessoas, as empresas, os governos de todo o mundo, gastam muito além de sua capacidade de pagamento e se endividam. Compram o que não precisam e enfim, gastam muito e mal.

O Brasil (e sua população), além de não poupar, e agir como se fora um país rico, possui dívidas estratosféricas que mui breve chegará ao valor de nosso PIB. Só um exemplo: recentemente foi noticiado que 78% da população ativa de Curitiba possuem dívidas e estão inadimplentes. Como é possível isto? Na Curitiba de primeiro mundo, em princípio tão rica e tão culta... As aparências enganam...

Os Estados Unidos, a maior potência econômica do planeta, já ameaçou moratória ao mundo no início de agosto de 2012. Será que há alguém capaz de aquilatar os prejuízos de uma ação destas? Vamos acreditar em quê, se o mais rico não pode pagar suas contas? E o Brasil é apenas o quarto maior credor dos norte-americanos... Nós precisamos acreditar em nós próprios...

Eu fico inconformado quando percebo que nossos governantes sempre hesitam ante a necessidade de cortar custos, ou cortar benesses. 

Isto me lembra Confúcio: “Nada é bastante para quem considera pouco o que é suficiente”.
E, quando ocorre uma crise financeira, o déficit de países obriga a efetivação de mais empréstimos e os bancos não vacilam em liberar mais dinheiro porque possuem uma alta garantia de liquidez. Afinal, o estado é soberano na emissão de dinheiro.

Entretanto, a administração do fluxo monetário está nas mãos da iniciativa privada e as leis de mercado obviamente não desaparecem por decretos governamentais. É por isso que Governos, empresas e pessoas, devem aprender a não gastar acima do que auferem.

Governos, empresas e pessoas, devem punir àqueles que se apropriam de bens que não lhes pertencem.Governos, empresas e pessoas, devem pedir ajuda quando se dão conta de sua incompetência.
E nunca se compare com ninguém. Isto é insanidade.
Com carinho

Categoria artigos, articulista

João Antonio Pabliosa

Engenheiro Agrônomo pela UFRRJ em 1972. 

Curitiba. Fone: (41)3333-3775 cel. 9635 4220

E-mail: joaoantoniopagliosa@gmail.com




Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA DO ARTICULISTA