Quarta-Feira, 23 de maio de 2018.

Não seja cúmplice do pecado de outrem

Em Levítico 19:17, Deus disse a Moisés que ninguém deverá ter ódio em seu coração, pelo seu próximo, e que deveremos repreende-lo em suas faltas, pois assim não teremos culpa pelo seu pecado.

A semente do ódio em nosso coração precisa ser sufocada ainda antes que germine e, se formos sábios, não devemos restringir amor pelo nosso próximo, muito pelo contrário, qualquer pessoa deve buscar realizar tanto bem para o seu próximo, quanto aprecia realizar o bem em sua própria vida. E próximo, prezado leitor, é qualquer pessoa que a vida nos permite ter contato.

Em 1 Timóteo 5:22 o apóstolo Paulo nos diz: "A ninguém imponha as mãos precipitadamente, sem seja cúmplice do pecado dos outros; conserva-se pois, em pureza de vida." 

Observe que Paulo falava dessa forma a seu discípulo Timóteo, o qual era amigo fiel e pastor de sua Igreja.

Em Efésios 5:6 a 10, lemos: "Ninguém vos engane com palavras destituídas de sabedoria, porque é justamente devido a este comportamento que a ira de Deus vem sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais participantes com eles. Pois no passado éreis trevas, mas agora sois luz do Senhor.. Assim, andais como filhos da luz, porquanto, o fruto da luz consiste em toda bondade, justiça e verdade; e aprendei a discernir o que é agradável ao Senhor."

Veja, prezado leitor, se ouvirmos palavras vãs, tal comportamento nos levará a desobediência, e daí, nos alcançará a ira de Deus.

Em 1 Coríntio 6:17, lemos que todo aquele que se une ao Senhor é um só espírito com Ele! Ora, nós precisamos nos encher do amor de Deus para podermos auxiliar as pessoas de maneira correta e eficiente. Se o nosso coração transbordar amor, nós ajudaremos nosso próximo em qualquer situação e jamais seremos cúmplices do pecado de outrem.

Peço-lhe que não entenda como banais estas colocações. Isso tem um propósito porque inúmeras pessoas se tornam cúmplices dos pecados dos outros, simplesmente porque elas não possuem um firme posicionamento cristão. E isso é muito mais comum do que a maioria supõe.

Quando alguém relata que cometeu um pecado e pede seu sigilo, nunca consinta! Explique com clareza que você não pode ser cúmplice do pecado dele, e peça que essa pessoa confesse seu pecado àquele que foi prejudicado. Esta é atitude cristã que honra a Deus, pois é sábio arrepender-se de falhas, é sábio reconhecer erros, é sábio pedir perdão.

Diferentemente, é completa loucura acobertar pecados e continuar enganando e manipulando as pessoas a sua volta! Os que assim agem, trazem o mal para si mesmos.

Em 1 Timóteo, capítulo 6, versículos 7 a 10, somos advertidos sobre o perigo fatal da cobiça. Eis o que nos diz o Senhor, através do apóstolo Paulo: "Porque ingressamos neste mundo sem absolutamente nada, e ao partirmos daqui nada podemos levar; por isso devemos estar satisfeitos se tivermos com o que nos alimentar e nos vestir. No entanto, os que ambicionam ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitas vontades loucas e nocivas, que atolam muitas pessoas na ruína e na completa desgraça. Porquanto, o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e por causa dessa cobiça, alguns se desviaram da fé e se atormentaram em meio a muitos sofrimentos."

Como isso é real nos dias que vivemos... Tantos políticos e tantos empresários enrolados até as entranhas com a justiça...

O que sei é que Deus nos quer ver felizes, ricos, prósperos e saudáveis. E tudo isso pode ser conquistado se tivermos amor cristão em nosso coração. Podemos viver em prosperidade esta vida terrena e conquistar o paraíso numa vida futura... Não obstante, ser cúmplice dos pecados de outrem, jamais!

Categoria artigos, articulista

João Batista Herkenhoff

Professor da Faculdade Estácio de Sá de Vila Velha (ES), palestrante Brasil afora e escritor. 
Autor do livro Mulheres no banco dos réus – o universo feminino sob o olhar de um juiz. (Editora Forense, Rio). 
E-mail: jbherkenhoff@uol.com.br 
Homepage: www.jbherkenhoff.com.br




Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA DO ARTICULISTA