Imap fiscaliza mineradoras e garimpos clandestinos na região da Flota






Em parceria com o Ministério Público federal no Amapá, o Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap), deu início a uma série de fiscalizações para coibir crimes ambientais dentro e no entorno da Floresta Estadual do Amapá (Flota). O Batalhão Ambiental da Polícia Militar acompanha as inspeções.

As primeiras ações, que duraram 10 dias, encontraram algumas irregularidades no eixo sul da região, que abrange os municípios de Pedra Branca, Serra do Navio e Porto Grande. Durante as expedições, os fiscais do Imap também encontraram pontos de retirada ilegal de madeira em tora. Sem a documentação necessária para transportar a carga, a madeira e equipamentos usados na extração do produto tiveram que ser apreendidos.

Os ficais também investigaram uma mineradora especializada na exploração de ouro e ferro no Centro-oeste amapaense. Eles desceram até duas minas que não possuem autorização para lavra. “Não encontramos nenhum indício de que essas minas estariam sendo utilizadas, o que configuraria irregularidade, pois são necessárias licenças ambientais específicas para o funcionamento”, informou a coordenadora de Fiscalização do Imap, Edilene Ribeiro.

De acordo com ela, as multas para o descumprimento de condicionantes variam de R$ 2,5 mil a R$ 50 milhões, dependendo da atividade desenvolvida, da infração e do porte da empresa. Uma outra pequena mineradora, na localidade de Cupixizinho, no município de Porto Grande, acabou autuada por descumprimento de uma das condicionantes legais para lavra fora do prazo de validade.

“A mineração é obrigada a implementar um reflorestamento na área que é desmatada para intervenção no terreno e isto tem que ser feito dentro de um prazo legal”, explicou Edilene Ribeiro.

Nesta quinta-feira, 9, uma equipe de fiscais ambientais se deslocou até o alto Araguari, nas imediações do município de Porto Grande, para averiguar balsas que extraem seixo do rio. O objetivo era conter a exploração fora do polígono determinado na licença ambiental de lavra. Ainda não há relatórios da ação, mas as incursões prosseguiram nesta sexta-feira, 10, e vão até o fim de semana.

“Uma outra equipe seguiu para o município de Calçoene para verificar denúncias de desmatamento ilegal dentro da área da Flota. Ainda estamos aguardando o resultado da fiscalização”, informou a coordenadora de fiscalização do Imap. Segundo ela, nos próximos dias as fiscalizações vão se concentrar no eixo norte da Flota.

Por: Elder de Abreu

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO