Obras do Conjunto Miracema passam por visita técnica do Governo e Justiça Federal

Compartilhe:





Na manhã desta quarta-feira, 30, técnicos da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) realizaram visita técnica no Conjunto Habitacional Miracema. Participaram da visita representantes de órgãos estaduais e o juiz da 2ª Vara da Justiça Federal no Amapá, João Bosco. O objetivo foi verificar “in loco” o andamento dos serviços, bem como a conclusão da obra, prevista para dezembro deste ano. A entrega das unidades habitacionais com o remanejamento das famílias para o residencial está prevista para julho de 2020.

A Seinf já realizou o cadastramento das famílias que irão ser transferidas para o conjunto. Trata-se de 560 famílias cujas casas foram retiradas da área do entorno do Canal do Jandiá. O trabalho de visita domiciliar e definição do perfil social e futuro ingresso ao conjunto foram realizados em 2019. Os moradores terão água de qualidade, energia elétrica, centro comunitário, praça com playground, academia ao ar livre, creche e escola de ensino fundamental no padrão do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ruas asfaltadas e apartamentos amplos com dois quartos, sala e cozinha.

A obra encontra-se 90% concluída, faltando apenas rede elétrica, pavimentação asfáltica e pintura. O investimento é do Ministério das Cidades com contrapartida do Governo do Estado no valor de R$ 40 milhões.

Após a entrega das 500 unidades habitacionais serão iniciadas as obras de outras 1.500 unidades que contemplarão famílias residentes em áreas de ressaca e habitações subnormais. Ao todo foram gerados 490 empregos diretos e a mão-de-obra utilizada é de moradores que residem às proximidades da obra, fomentando emprego e renda locais.

Segundo o juiz João Bosco, áreas de ressaca não são locais para se morar.

“Assumimos o compromisso de reintegração dessas áreas e o remanejamento das famílias para os conjuntos habitacionais. Nosso foco não é somente as 2.000 unidades, mas estamos trabalhando para a aquisição da demanda inicial que era de 5.000 moradias”.

“O governo tem trabalhado incansavelmente para a entrega destas 500 unidades de forma planejada, para que as famílias tenham escola, creche, centro comunitário e todo o aparelhamento social, além do Projeto de Trabalho Técnico Social (PTTS) que vai focar na convivência condominial, tratamento de lixo e tudo que permeia a moradia das famílias em um condomínio habitacional”, ressaltou o secretário adjunto da Seinf, Pedro Barros Baptista.

 

Por: Tony Briam /  Foto: Divulgação Seinf

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO