Amapá anuncia novo Hospital de Emergência com ampliação de 160 leitos na rede estadual

Compartilhe:





O governador do Amapá, Waldez Góes, anunciou nesta terça-feira, 7, a construção de um novo Hospital de Emergências (HE) de Macapá. As obras têm previsão de iniciar ainda em 2020 e a estrutura deve ficar pronta em 2022, com cerca de 160 leitos.

O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa, no Palácio do Setentrião, sede do Governo do Estado. Segundo o governador, a bancada federal já destinou R$25 milhões para iniciar a construção, cujo investimento total é de aproximadamente R$100 milhões.

Para que a obra seja concluída, o senado continuará destinando recursos nos próximos dois anos. Detalhes técnicos, como local do prédio, serão definidos por uma equipe ainda em janeiro, levando em consideração as necessidades da capital.

Outra emenda de bancada, no valor de R$6 milhões – destinada pelo senador Lucas Barreto – vai garantir um novo bloco no atual HE com cerca de 90 leitos, o que vai otimizar os atendimentos durante as obras do novo hospital.

Para Góes, a união entre governo e bancada federal é o fator decisivo para os avanços. Ele explicou que o Amapá quer continuar crescendo nas áreas da educação, segurança, economia, infraestrutura, mas que a saúde é o maior desafio.

“Nós construímos, ao longo de 2019, vários entendimentos sobre esse setor [saúde] que é fundamental para a nossa população da capital e do interior. Como fruto dessas discussões, decidimos que, no primeiro semestre de 2020, nós também vamos retomar outros três projetos: as obras do Hospital da Criança e do Adolescente, em Macapá, e dos hospitais de Santana e Laranjal do Jari”, disse.

O governador lembrou que estão em construção os hospitais de Porto grande e de Ferreira Gomes e que o Amapá também terá o Hospital Universitário – toda essa estrutura é para garantir mais qualidade de atendimento à população.

Outro objetivo é reforçar a saúde oferecida aos amapaenses por meio do Consórcio de Desenvolvimento Interestadual da Amazônia. Uma das propostas é comprar remédio e correlatos para os nove estados; o grupo também busca a revisão da tabela do Sistema único de Saúde – que não é atualizada há 19 anos.

“Para efeito de comparação, há 18 anos o salário mínimo era R$180”, ponderou Góes.

Outros setores

Além da saúde, Góes ressaltou que a união de esforços vai proporcionar outros avanços para 2020, especialmente no setor da habitação e do plano rodoviário. Com bons resultados no ano passado, a segurança pública também é o foco nos investimentos.

VEJA TAMBÉM: Amapá tem redução de 25% de crimes violentos em 2019
Obras na área da segurança pública avançam no Amapá

Durante a coletiva, o governador lembrou que já estão disponíveis os recursos para construção de mais 1,5 mil unidades habitacionais no conjunto Miracema; além disso, serão retomadas as obras dos conjuntos Congós Aturiá, onde cerca de 15 mil pessoas beneficiadas com o direito da casa própria.

VEJA TAMBÉM: Governo repassa R$ 11,4 milhões de contrapartida à Caixa para a 2ª fase do Miracema
Residencial Miracema: governador Waldez lança obras de moradia para 10 mil pessoas

Essas estruturas fazem parte de uma "Frente Habitacional" que está investindo em R$260 milhões no Amapá. As três obras devem gerar 1340 empregos diretos e 690 indiretos.

O governador destacou também que está acontecendo mais uma etapa do Plano Rodoviário Estadual. Dessa vez para integrar a região leste do Amapá. A ação vai ligar as cidades de Cutias, Itaubal e distritos da capital, facilitando o acesso à Região Metropolitana de Macapá. Serão gerados cerca de 400 empregos.

Em paralelo, o Governo do Amapá investe na duplicação de 17 quilômetros da rodovia Duca Serra, o projeto prevê a construção de 12 retornos, duas rotatórias, quatro passarelas elevadas, ciclovia, acostamento e barreiras de segurança, e sinalização horizontal e vertical.

 

Por: Andreza Teixeira /  Foto: Marcelo Loureiro

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA Notcia