Trecho do rio Pacuí que dá acesso ao rio Gurijuba é obstruído pela ação dos búfalos






Continuam as reclamações sobre as agressões ambientais no rio Pacuí devido a presença de búfalos. Os pescadores de Santa Luzia, distrito de Macapá, sofrem ameaças quando tentam se deslocar pela área cercada pelos criadores. A situação chegou ao ponto do rio Pacuí não poder mais desaguar no rio Gurijuba porque a passagem foi obstruída por conta da ação dos bubalinos.

O problema é do conhecimento do Ministério Público e outros órgãos fiscalizadores, mas nenhuma ação foi tomada com o intuito de resolver o problema. Alguns pescadores, que pediram para não ser identificados temendo represália, disseram que com o fechamento da passagem para o rio Gurijuba, a situação está difícil porque os moradores se deslocavam até o Bailique para comercializar produtos. “Agora isso não é mais possível”, lamentou um deles.

A única alternativa é pelas proximidades das fazendas, mas é uma atitude difícil e perigosa porque os fazendeiros cercam extensas áreas em meio ao rio. Nas proximidades da sede de Santa Luzia, pelos campos do Araguari, os pescadores também não têm condição de pescar devido a proibição por parte de alguns fazendeiros. Os conflitos são constantes. Os pescadores, quando flagrados pelos seguranças dos fazendeiros, acabam perdendo suas espingardas e redes de pesca.

A ação devastadora dos búfalos não se concentra apenas no Pacuí, mas em diversas regiões do Estado. O Ministério Público Federal já constatou os danos ambientais no rio Araguari ocasionados pela ação de búfalos, tendo como principais culpados os criadores. Na última reunião do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Coema) da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), ficou decidido que um grupo de conselheiros será designado para constatar o problema e definir uma solução por meio de resolução, instrução normativa ou portaria.

Os conselheiros Domingos Sávio, Airton Soares Azul e Amarildo Porto verificaram a necessidade de visitar in loco os municípios de Calçoene e Itaubal. “Na última reunião do Conselho, colocamos a situação ao conhecimento da plenária e convocamos alguns conselheiros para fazer parte da visita aos municípios que criam gado bubalino. O interesse da viagem é criar uma resolução que regulamente a atividade de criação de búfalos no Estado”, concluiu Amarildo Porto.

Por Jorge Cesar/aGazeta

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO