Parlamentares saem otimistas de explanação sobre crescimento do setor mineral no Pará






Os deputados estaduais Augusto Aguiar (MDB), Fabrício Furlan (PCdoB), Pedro DaLua (PSC) e Telma Gurgel (PRP) estiveram nesta quinta-feira (12) na sede do Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará (Simineral), em Belém, onde foram recebidos pela coordenadora executiva Poliana Bentes de Almeida e pelo consultor técnico do Instituto Brasileiro de Mineração, o geólogo Alberto Rogério Silva. Na ocasião, os parlamentares conheceram as instalações do sindicato e participaram de uma explanação sobre a história e o crescimento do setor mineral no Pará.

Segundo o deputado Augusto Aguiar, presidente da Comissão de Indústria, Comércio, Minas e Energia (CIC) da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), são momentos como este que os membros e os técnicos das comissões saem mais fortalecidos para propor aos órgãos competentes do Estado uma atenção especial para esse setor. “O Amapá tem potencial para crescer economicamente por meio dos segmentos minerais. Faltam incentivos para que essas grandes empresas se instalem no nosso estado, tendo, principalmente, compromisso com a nossa população, gerando emprego e renda, deixando também parte dessa riqueza no Amapá”, sustentou.

O consultor técnico do Instituto Brasileiro de Mineração explicou aos parlamentares que o Amapá tem uma vantagem muito grande na história da mineração da Amazônia, pois foi o primeiro estado a ter um projeto organizado para a exploração mineral. “Mas, infelizmente, falta uma legislação que obrigue as empresas a se comprometerem com o Estado”, sinalizou. Segundo ele, a distribuição desses recursos minerais é uma obra de graça da natureza e que muitos estados da Região Amazônica têm potencial para alavancar a economia por meio dessa riqueza, inclusive o Amapá.

“Assim como o Pará, o nosso estado tem uma vocação mineral muito grande e devemos transformar isso em riqueza para o nosso povo. Mas o que falta é fortalecer a legislação estadual, que é de nossa competência. E esta visita é para ver de perto o que está dando certo aqui no Pará para apresentarmos ao Parlamento e ao Estado que é possível sim incentivar essas multinacionais no trabalho de desenvolvimento econômico do Amapá”, ponderou o deputado Fabrício Furlan, presidente da Comissão de Administração Pública (CAP).

O deputado Pedro DaLua, membro da CIC, e a deputada Telma Gurgel, que faz parte da CAP, destacaram a finalidade das duas comissões do Parlamento de buscar subsídios para fortalecer o setor no Amapá. “É a Assembleia Legislativa que faz as condicionantes, as leis para reger essas empresas. O Pará tem casos de sucesso, de empresas que estão há muito tempo no estado e que dão retorno direto à população paraense. Os poderes Executivo e Legislativo do Amapá devem ter um grande cuidado para quando receberem as empresas no estado terem o conhecimento geral destas, para depois permitirem o trabalho delas no nosso território”, relatou Telma Gurgel.

 

Texto: David Diogo

Fotos: Gerson Barbosa

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO