MP-AP coordena processo eleitoral para escolha dos representantes dos moradores do Macapaba

Compartilhe:





O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio do Programa MP Comunitário, acompanhou e orientou na condução do processo eleitoral para escolha da nova diretoria e conselho fiscal da Associação de Moradores do Residencial Macapaba (Asmorema), realizada neste domingo (21), na Escola Estadual Professor Antônio Munhoz Lopes. A atividade foi autorizada pela Procuradoria-Geral de Justiça, com apoio do Gabinete Militar institucional e do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AP), que cedeu o sistema de urnas para votação eletrônica.

A eleição, no horário das 9h às 15h, contou com a participação de seis chapas para a direção e duas concorrendo ao órgão fiscalizador representando a comunidade do habitacional. Alexsandra Pereira foi eleita presidente da Asmorema, para um mandato de dois anos.

Atendendo a um requerimento das lideranças do habitacional, protocolado na Procuradoria-Geral de Justiça do MP-AP, a procuradora-geral de Justiça, Ivana Cei, designou os assessores técnicos José Villas Boas e Carla Pena para realizarem a interlocução com os moradores na condução do processo de escolha. A equipe contou ainda com o assessoramento do servidor Pedro Paulo, voluntários da própria comunidade e da diretora da Escola, professora Ângela Coelho.

O assessor técnico José Villas Boas informou que foram dois meses de trabalho do MP Comunitário, orientando e participando das reuniões e assembleias com as lideranças que culminou na eleição neste domingo (21). Os eleitores foram cadastrados pelas lideranças do conjunto, de acordo com os critérios definidos em assembleia, para posterior encaminhamento ao MP-AP, a fim de conduzir ao TRE/AP para preparação e lançamento dos dados no sistema da urna eletrônica.

Para o presidente do Conselho de Segurança Comunitária do habitacional, Manuel Ferreira da Silva, o MP-AP está sempre presente na comunidade buscando solução para os problemas. “Como morador, em nome de todos nós, estou agradecendo aqui o Ministério Público e toda equipe que está dentro do conjunto fazendo essa eleição com seriedade, mostrando que realmente eles estão se preocupando com a gente. Que vença o que a comunidade escolher para fazer um bom trabalho, para lutar junto com o Conselho, para que a gente possa realmente ter essa alegria de receber o que foi oferecido para nós antes da gente vir para cá”, manifestou Manuel.

“Eventos como eleições de associações de bairro costumam ser conflituosos e a nossa participação visa à condução pacífica, transparente e democrática de todo o processo. Para o Macapaba, que está há 2 anos sem diretoria, ter regularizada a sua Associação significa que terão melhores condições de reivindicarem junto às instituições os serviços públicos essenciais para a comunidade”, ressaltou Villas Boas.

 

 


Texto: Gilvana Santos/MP-AP

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO