Governador recebe atualização sobre andamento do Plano Regional Integrado de Infraestrutura em Saúde


Fazem parte do plano mais de 30 obras de construção, reforma e ampliação de unidades de saúde em todo o estado do Amapá.


Reunião sobre o PRI da saúde

Nesta quarta-feira, 14, o governador Waldez Góes acompanhou mais uma reunião do Plano Regional Integrado de Infraestrutura em Saúde (PRI Saúde) que acompanha o planejamento, execução e monitoramento do andamento de todas as obras em execução na rede estadual de saúde.

Entre construções, reformas e ampliações, o PRI Saúde acompanha 31 obras com recursos oriundos do Tesouro Estadual, emendas da Bancada Federal e emendas articuladas pelos senadores Davi Alcolumbre e Lucas Barreto.

O mapeamento das obras ainda contempla pagamentos, prazo de execução, licenças, regularização, contratos, entre outros detalhamentos que também contribuem para o acompanhamento.

Fazem parte das obras a 1ª etapa de ampliação do Hospital de Emergência de Macapá, que irá garantir a ampliação da unidade em mais 86 leitos; Complexo Regulador de Saúde, que concentrará toda a demanda de regulação que consiste em consulta e exames, regulação de leitos, regulação de urgência e emergência, programa de Tratamento Fora de Domicílio e Central Estadual de Transplante de Órgãos.

Além do Hospital Regional de Porto Grande, que tem previsão de conclusão da primeira etapa em setembro contemplando ambulatório, enfermarias, maternidade e centro cirúrgico e do Hospital da Criança e do Adolescente e Hospital Estadual de Santana.

Waldez destacou que todas as obras foram planejadas para atender as necessidades e especificidades de cada município.

“Verificamos o status e as etapas de cada uma das obras. Estamos investindo na saúde para melhorar e ampliar os serviços prestados. O controle e monitoramento de cada intervenção é essencial para garantir as entregas na área de Saúde em todo o Estado”, afirmou.

A previsão é que as obras sejam concluídas até o final de 2022. Participaram da reunião representantes de todas as áreas técnicas que são responsáveis pelas atualizações das etapas das obras como  como a própria Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Infraestrutura (Seinf), Transporte (Setrap), Planejamento (Seplan), Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) e Corpo de Bombeiros Militar (CBM).

O secretário de Saúde, Juan Mendes, explicou que as obras são essenciais para garantir a modernização da infraestrutura da saúde em todo o Amapá.

“Essas intervenções são muito necessárias porque reorganizam a rede assistencial para que possamos ofertar novos serviços com atendimento especializado e humanizado para os amapaenses”, ressaltou.

 

 

Por: Claudia Cavalcanti

Foto: Márcio Pinheiro

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO