Instituições de pesquisas apresentam resultados de projetos para melhoria do SUS no Amapá


Seminário virtual contou a participação de gestores de entidades e representantes dos sete estudos financiados pelo programa PPSUS.


Uma das principais iniciativas de fomento científico na área da saúde apresentou na quinta-feira, 18, os resultados finais dos sete projetos participantes da 4ª edição do Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS).

A Inciativa apoia financeiramente projetos de pesquisa que promovam a melhoria da qualidade da atenção à saúde no Amapá. O programa atua, ainda, como uma ferramenta inovadora por adotar um modelo de gestão descentralizado e participativo, envolvendo gestores, profissionais de saúde, pesquisadores e representantes da sociedade civil.

Entre os projetos apoiados estão estudos sobre a resistência do mosquito Aedes aegypti em diversas regiões do Amapá. O inseto é o responsável pela transmissão de doenças como dengue, zika e chikungunya.

Para o coordenador do projeto, Dr.º Allan Kardec, pesquisador do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), entender a estruturação genética do mosquito é fundamental para evitar a proliferação e melhorar a eficiência no combate. A pesquisa abrangeu a área de 7 municípios, desde Oiapoque até Macapá.

“A pesquisa teve a finalidade de estudar o processo de resistência do mosquito aos inseticidas do grupo químico dos piretoides. Contamos com a participação da Fundação Oswaldo Cruz que colaborou nos estudos genéticos e identificou que os mosquitos na região norte do estado apresentaram maior resistência, o que é fundamental entender para melhorar a eficiência no combate”, explicou.

Já o pesquisador da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Wollner Materko, desenvolveu um projeto sobre estratégias diagnosticas para prevenção e tratamento da Diabetes Miellitus Tipo 2.

“Através do Laboratório de Fisiologia do Exercício e sua aplicação na saúde e tecnologia, foram realizadas atividades de prática pedagógica e de pesquisa do curso de Educação Física e área afins. Adquirimos, com auxílio do PPSUS, equipamentos que auxiliam no acompanhamento dos participantes da pesquisa. Entre eles estão um eletrocardiógrafo, monitores de frequência cardíaca, módulo de frequência respiratória e protótipos de eletrocardiograma”, destacou o pesquisador.

Foram disponibilizados R$ 300 mil para o financiamento dos projetos. As áreas pré-estabelecidas no edital foram: doenças crônicas não transmissíveis; saúde materno infantil; agravos relacionados à violência; trabalho e meio ambiente; e fluxos e processos de gestão em saúde.

De acordo com a diretora-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá (Fapeap), Mary Guedes, o programa já está consolidado e reforça uma das prioridades do Estado: a saúde.

“O PPSUS é muito importante e vem apoiando projetos de pesquisa em áreas prioritárias para o Amapá. Desse modo promove a melhoria da qualidade de atenção à saúde no contexto do SUS, além da formação de recursos humanos especializados”, destacou a gestora.

A relação de todos os projetos do programa está disponível no site fapeap.ap.gov.br.

PPSUS

O PPSUS é um programa do Ministério da Saúde em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É estabelecido através de um convênio entre a da Fapeap e o CNPq, e envolve uma contrapartida financeira do Governo do Amapá, através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

 

Por: Rafael Aleixo

 



Deixe seu Comentário

 

VOLTAR A PÁGINA PRINCIPAL VOLTAR A PÁGINA COTIDIANO