Foto: GEA

Município de Vitória do Jari

Dados gerais, Mapa Político Digital do Amapá

HISTÓRICO
O município de Vitória do Jari, desmembrado do município de Laranjal do Jari, foi criado por determinação da lei nº 0171, de 08 de setembro de 1994. Vitória do Jari surgiu do anseio da população ver transformado em benefícios para a localidade, os impostos pagos pela CADAM (empresa que explora o minério daquela região).

Trata-se, pois, de um núcleo populacional formado por pessoas que trabalhavam no parque industrial da CADAM, ali fixaram residência e criaram um pólo econômico ativo, onde se instalaram inúmeras atividades de comércio e serviços, destinados a atender necessidades imediatas da população. O núcleo rapidamente cresceu e adquiriu condições para se transformar em município. Por estar praticamente dentro do Município de Laranjal, Vitória do Jari, conhecido popularmente por Beiradinho, enfrenta os mesmos problemas daquele município: enchentes, desemprego e, sobretudo, péssimas condições de moradia para a população menos assistida, que vive sobre pontes e palafitas, etc.

Em 7 de março de 2001 é criado em Macapá o grupo Zoneamento Ecológico-Economico do Amapá, com um investimento de R$ 300 mil reais, através de parcerias do Governo do Amapá e do Ministério do Meio Ambiente. O Zoneamento tem a coordenação do professor Benedito Rabelo. O estudo abrange inicialmente os municipios de Vitória do Jari, Mazagão e Laranjal do Jari.

Brasão e Bandeira

ASPECTOS GERAIS:
Localização: o município de Vitória do Jari localiza-se na parte sul do Estado do Amapá, com altitude de 50m (sede). A via de acesso às localidades vizinhas é de canoa; à capital do Estado, por meio de barcos. Os meios de transporte utilizados pela população são barcos ecanos.
Área: sua área é estimada em aproximadamente 2.428,0 Km²

Limites:faz limite com os municípios de Laranjal do Jari e Mazagão, Rio Amazonas (Pará) e Ajuruxi.
Divisão Política: sede municipal

População:Confira a população de todos os municípios clicando aqui.

A maioria dos habitantes é constituída de pessoas que vieram de outras unidads da Federação e que trabalham na Jari Celulose e Caulim da Amazônia, e/ou empresas que prestam serviços às duas.

Comunicação:Os meios de comunicação existentes no município são os postos telefônicos e um posto dos Correios.

Educação, Cultura e Lazer
Na pré-escola estudam 74 alunos. 1.145 no primeiro grau, e1.678 no segundo grau, num total de 2.897 alunos.

Saúde: Funciona um posto de saúde privado, um rural e cinco clínicas mantidas por empresas para seus empregados e familiares. Não existe hospital, nem pronto-socorro.

Saneamento: Índice de residências com ligações de tratamento de esgoto: não existe. Sistema de coleta de lixo: rústico, sem padrão; mesmo assim a coleta é feita diariamente. Destino final do lixo: uma lixeira, com a queima parcial dos objetos. Índice de residências com abastecimento de água: 40% área central. Índice de residências com energia elétrica: 95%

Economia: a principal matéria-prima existente no municipio é a agricultura, com escoamento de produção/comércio/serviços. Fazem parte deste cenário, as plantações de milho, banana, melancia, abóbora, arroz, mandioca etc. Na pecuária, a criação de gados bovino e bubalino. As principais atividades produtivas são cooperativa e extrativismo. A renda familiar média é um salário mínimo. O índice de desemprego já chegou a 90%.

Contudo, a economia do município gira em torno da Jari Celulose, empresa sediada em Monte Dourado (Munguba -PA) e que mantém em seu quadro centenas de empregados.

Auxiliam ainda na expansão deste setor, a extração do caulim, da empresa CADAM e a extração de Castanha do Brasil da COMAGE – Cooperativa situada no Morro do Felipe (PA). No setor terciário figuram pequenas mercearias, bares e diversas boates. A maior renda na cidade é oriunda de salários dos funcionários públicos.

A energia é produzida por uma Unidade Temelétrica mantida pela CEA, que funciona 24 horas.
A Caesa construiu poços artesianos para servir à população com água tratada.

Atrações turisticas: o município oferece viagens de catraias pelo Rio Cajari e, à noite, uma visão deslumbrante da fábrica da Jari, que fica do outro lado do rio. Além disto, são permitidas visitações à mina de extração do Caulim (morro do Felipe).

 

DIVISÃO FISIOGRÁFICA
Existem dois tipos de florestas: região de floresta densa (baixos e altos platôs) correspondente a 80% da área e a região de formação pioneira (aluvial campestre), que caracteriza 20% da área. A floresta densa apresenta grande potencial madeireiro e abriga inúmeras variedades de espécies nobres. Além da castanha-do-Brasil, há no local seringueiras, essências florestais e açaizais.

• Hidrografia:ao Norte do Rio Cajari e afluentes pela margem direita até a altura do rio São Luiz em Macapá e ao Leste o rio Amazonas.

• Clima: tropical chuvoso. A temperatuva máxima é de 34º e a mínima gira em torno de 20º centígrados.

 

Texto do historiador Edgar Rodrigues


O que achou desta notícia?