Sebrae comemora resultados de participação na 52ª Expofeira do Amapá

Sebrae comemora resultados de participação na 52ª Expofeira do Amapá

Nos 10 dias de evento, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá ofertou atendimento ao público empreendedor em uma megaestrutura montada com quatro espaços de excelência


A 52ª Expofeira do Amapá de 2023 foi o maior evento realizado no Amapá nos últimos anos. Tudo aconteceu em uma infraestrutura montada pelo governo do Estado em 320 mil metros quadrados.

E durante os 10 dias de programação, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae), ofertou atendimento ao público empreendedor em uma megaestrutura montada com quatro espaços de excelência.

O Sebrae preparou os espaços estruturados para atendimento durante a Expofeira, são eles: Pavilhão Aquário da Inovação, Festival Gastronômico Amapá 80 Anos, Estande Institucional do Sebrae e Pavilhão de Oportunidades e Negócios.

No Pavilhão de Oportunidades diversos serviços foram disponibilizados pela instituição, como orientação de abertura e formalização de empresas, alteração cadastral, declaração anual do MEI, simulação de parcelamento, parcelamento de débitos, emissão de DAS (Documento de Arrecadação do Simples), baixa e orientação técnica.

Também ficou disponível um veículo tipo VAN para atendimento dos Microempreendedores Individuais – MEIs.

Foi lá que o empreendedor informal Adilson da Silva Medeiros, da empresa Garagem 83 - Estética Automotiva, procurou o atendimento. Ele recebeu as orientações quanto aos deveres e obrigações para formalizar o empreendimento. Um passo importante para expandir os negócios que investe em lavagem, polimento e embelezamento de veículos. Na VAN foram atendidas 52 pessoas.

Já no estande, foram 51 atendimentos presenciais. Os números do atendimento remoto ficaram assim: Catálogo Digital de Empresas do Amapá, 54 cadastros. Kit Acelerador de Empresas Sebrae, 309 downloads e o App Sebrae, tem 100 novos usuários.

No Espaço Sebrae, 13 empresas participaram da Feira de Saúde e Beleza. Um sucesso pela diversidade de produtos e serviços apresentados nos dois segmentos.

Ainda no Espaço Sebrae, houve Exposição e Rodada de Negócios de Produtos Artesanais. Nove grupos de artesãos participaram, sendo cinco de Macapá - Grupo Mãos Unidas, Quilombo das Artes Tapuia, Associação de Louceiras do Maruanum, Cooperativa Mãos que Criam e Associação de Artesãos do estado do Amapá; Três grupos são de Mazagão Velho - Artesanato Raízes do Mazagão, Associação Maracá e Cunani do Mazagão Velho, Associação Maracá e Cunani do Piquiazal e um é de Mazagão Novo: Associação dos Artesãos - Tribo das Artes Mazaganenses. O volume de gerados no setor de artesanato girou em torno de R$ 15.441 reais.

Outro espaço muito frequentado foi onde aconteceu o Festival Gastronômico Amapá 80 Ano, na Praça de Alimentação - Rio Amazonas. Participaram 22 empresas da gastronomia local, selecionadas por edital, sendo que 14 dessas empresas integram o projeto Gastronomia Tucuju do Sebrae e oito são do distrito de Fazendinha. Todas elas prepararam receitas inéditas especialmente para o Festival.

O Aquário da Inovação, outro espaço ofertado pelo Sebrae, foi bastante comemorado pelos expositores e pelo público visitante. Os empreendedores de bioeconomia e startups colocaram seus produtos e serviços numa vitrine tecnológica permitindo a aproximação comercial, geração de negócios e, sobretudo, posicionando o Amapá como produtor de biotecnologia de alta performance na Amazônia.

A vitrine da inovação disponibilizada na 52ª Expofeira vai impulsionar ainda mais os negócios que já vem sendo apoiados e acelerados pelo Sebrae e por toda a rede de parceiros dos negócios digitais e bionegócios do Estado. Nesta edição, foram 30 empreendedores, sendo 20 de bioeconomia e 10 de startups.

Outro momento marcante foi o relato da produtora rural, Dalva Conceição da Silva, do estado de Roraima, que desenvolveu e passou a produzir farinha de batata doce. Na palestra com o tema ‘Caso de Sucesso Sebrae Roraima "Cerrado da Amazônia: Produção de farinha de batata doce’, ela mostrou que é possível empreender, mediante a dificuldade de escoar a produção de forma in natura e pensar em alternativas empreendedoras. Ela possui uma agroindústria que abastece academias e supermercados de Roraima.

Em uma das reflexões sobre a participação do Sebrae na 52ª Expofeira do Amapá, o presidente do Conselho Deliberativo da instituição disse que “quando a cultura do Amapá se une ao processo de produção e com o design, gera produtos de altíssima qualidade e de uma beleza incalculável. Nosso trabalho é aprimorar a produção das empresas amapaenses. Estamos aqui injetando recursos na economia do Amapá. O Sebrae junto com seus parceiros faz um trabalho esplendido. Estamos dando uma sinalização para a sociedade amapaense que podemos gerar emprego, renda e desenvolvimento”, concluiu.

Para a superintendente, Alcilene Cavalcante, o Sebrae participou de um evento muito significativo para o público empreendedor. “Foi um espaço com centenas de micro e pequenas empresas e de MEIs, que são os nossos clientes. Eles tiveram a oportunidade de gerar novos negócios, novas oportunidades e novas parcerias. Uma expansão importante para os negócios”, afirmou.

“Nós avaliamos que esses dias superaram a expectativa de todo mundo que passou pela Expofeira. Foi um sucesso para os empreendedores, para os visitantes, para toda a população que aqui esteve. Os empreendedores tiveram a oportunidade de comercializar os seus produtos em grande escala e de tornar os seus empreendimentos mais conhecidos. Tivemos atendimentos e formalização de empresas, sem contar as capacitações. Então, a gente tem uma avaliação extremamente positiva dessa parceria durante os 10 dias de evento”, comemora a diretora técnica do Sebrae, Suelem Amoras.

 

Por Tanha Silva

Publicidade

Veja fotos













O que achou desta notícia?


Cursos Básicos para Concursos